O investimento de maior envergadura, já com o aval do Governo, pertence ao grupo inglês Brine Engineering Solution, e consiste na instalação de um parque solar de 2,5 megawatts e uma unidade de dessalinização para a produção de 3.500 metros cúbicos de água/dia para a agricultura e pecuária, num projeto a rondar os 2,5 milhões de contos.

Este grupo de investidores vai ainda instalar no Porto Novo um centro de hidroponia para a produção de morangos e transformar o Centro Pós-Colheita num centro agroindustrial, com capacidade para a transformação, certificação e comercialização dos excedentes.

Para as autoridades municipais, trata-se de um projeto de grande envergadura que irá, “certamente, revolucionar a agricultura, não apenas no Porto Novo, mas em toda a ilha de Santo Antão”.

Os investimentos, já financiados no quadro do programa AquaSun, estarão concluídos até meados de 2019, com a produção agrícola em grande escala (1.400 toneladas/ano) para os mercados turísticos nacionais, segundo um representante da Brine Engineering Solution.

Outros projetos já garantidos para 2018 para a cidade do Porto Novo e Tarrafal de Monte Trigo incidem no sector do turismo, que devem rondar os 150 mil contos, conforme a apurou a Inforpress junto da edilidade.

Para Tarrafal de Monte Trigo, uma das principais zonas turísticas de Santo Antão, está confirmado um pacote de investimentos privados de quase 130 mil contos, que consiste na construção de uma unidade hoteleira e um centro de promoção de atividades ao ar livre (desportos náutico, ‘trekking’ e outras).

No sector alimentar, Porto Novo poderá receber um projeto que tem a ver com a instalação de uma unidade de silos para armazenamento e comercialização de cereais, a cargo da Ilha Verde, o qual está a ser discutido, já há algum tempo, entre o município e esta empresa cabo-verdiana.

Para o edil do Porto Novo, Aníbal Fonseca, o interesse dos empresários nacionais e estrangeiros em investir no município é fruto de “uma diplomacia bastante forte” exercida, nos últimos tempos, junto do Governo e dos investidores, com vista a trazer para Santo Antão atividades económicas e fixar os jovens na ilha.

Tarrafal de Monte Trigo, considerado, para muitos, o “oásis do turismo” em Santo Antão, está também a ser alvo de cobiça de um investidor belga, que já prometeu viajar para Santo Antão para negociar com os responsáveis municipais.

Igualmente, Oásis Atlântico está a ponderar a possibilidade de investir nos sectores turístico e imobiliário no município do Porto Novo, a avaliar pelo interesse demonstrado numa recente visita de uma delegação desse grupo económico português a Santo Antão, que serviu para se identificar oportunidades de investimentos.