Os investimentos, que devem arrancar já em Agosto, estão previstos no quadro do projecto  de abastecimento de agua potável e saneamento para esta ilha, financiado em 10 milhões de dólares americanos (900 mil contos) pelo Banco Árabe para o Desenvolvimento Económico de África (BADEA).

O presidente da Câmara Municipal do Porto Novo, Aníbal Fonseca, acredita que projecto, cujo lançamento tem vindo a ser adiado desde Dezembro, “resolverá os constrangemos” com a gestão e tratamento de águas residuais no Porto Novo, com a instalação de uma nova rede de esgotos, além das “melhorias substanciais” que trará às redes de abastecimento de água nos três municípios.

Os autarcas enaltecem o impacto deste projecto na melhoria e alargamento das redes de distribuição nos três concelhos, reduzindo as perdas e melhorando a cobertura das populações com água canalizada.

No caso do Porto Novo, a rede de transporte de água, construída há quase duas décadas, já se encontra obsoleta e com graves deficiências, segundo os  responsáveis locais.

Santo Antão recebe, neste momento, uma missão técnica no quadro deste projecto, a qual procede ao concurso já laçando para a escolha de uma empresa de consultoria que vai elaborar os estudos detalhados, os dossiers de concurso, além de fiscalizar as obras do projecto, que será executado até finais de 2022.

O projecto é coordenado pela Agência Nacional de Águas e Saneamento (ANAS) que, também, realça as melhorias que os investimentos  trarão a nível do abastecimento de água potável e de gestão e tratamento dos esgotos águas em Santo Antão, com “forte impacto” na melhoria das condições de vida das populações.

As redes de água e de drenagem de esgotos serão densificadas e as taxas de ligações domiciliárias vão ser, “significativamente”, aumentadas, segundo a ANAS, segundo a qual haverá, igualmente, uma redução “considerável” de perdas nas redes de distribuição de água potável, que chegam aos 45 por cento (%).

No domínio de água, o projecto prevê a construção de 25 quilómetros da rede de adução e distribuição no Porto Novo e mais de oito mil ligações domiciliarias nos três municípios, além de construção/reabilitação de reservatórios.

A nível do saneamento, o projecto vai permitir a construção, na cidade do Porto Novo, de uma rede de esgotos de 20 quilómetros e mais de 300 ligações domiciliárias, prevendo-se ainda a montagem de uma estação de tratamento de águas residuais (ETAR), duas estações de bombagem e 200 fossas sépticas nas zonas rurais.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.