Os responsáveis municipais acreditam que “há boas perspectivas” de alguns dos investimentos, que abarcam a pesca, o turismo, a agricultura e as energias renováveis avançarem ainda no decurso deste ano, dadas as condições já criadas, para o efeito.

São os casos dos projectos ligados à pesca (instalação de uma unidade de transformação do pescado) e ao turismo (construção de um resort de médio porte), que estão a cargo, respectivamente, dos investidores Geir Eriksen (Noruega), e Marcel Van der Schild (Holanda).

O edil do Porto Novo admite que, ainda em 2019, é possível que se consiga “materializar os objectivos a nível actividade privada”, sobretudo no turismo, mas também em outros domínios, como a pesca, energias renováveis e dessalinização de água para agricultura.

Geir Eriksen firmou um memorando com a Câmara Municipal do Porto Novo, no âmbito do qual compromete-se a investir, numa primeira fase, 70 mil contos na transformação do pescado, projecto previsto desde 2018, mas que pode avançar ainda este ano, segundo a edilidade.

O investidor holandês Marcel Van der Schild está a ultimar, com o município, as condições para o arranque das obras de um hotel resort de médio porte nas imediações da já requalificada praia de Curraletes, a três quilómetros da cidade do Porto Novo.

O resort de médio porte (valor do investimento não foi ainda revelado) vai albergar espaços para prática de volley de praia e dos desportos náuticos, projecto que, segundo o autarca portonovense, vai dar “grande impulso” ao turismo em Santo Antão.

Em carteira está, igualmente, um projecto de “de grande envergadura” no domínio das energias renováveis e dessalinação de água para agricultura industrial, estimado em dois milhos e 500 mil contos, a cargo de um grupo de investidores ingleses.

O memorando de entendimento, que viabiliza o investimento, já foi assinado entre o Governo, através do Tradeinvest, os investidores e a câmara do Porto Novo, que vai disponibilizar os terrenos para a implementação do projecto, que, a concretizar-se, será o maior investimento privado uma vez realizado em Santo Antão.

Os investidores propõem a instalação de um parque solar de 2,5 mega watts e de uma unidade de dessalinação para a produção de 3.500 metros cúbicos de água/dia para a agricultura, além da transformação do centro pós-colheita do Porto Novo num centro agro-industrial, com capacidade para transformar, certificar e comercializar os produtos agrícolas.

Uma nota deste grupo, a que a Inforpress teve acesso, explica que se pretende investir no centro de pós-colheita do Porto Novo e transformá-lo num centro agro-industrial e criar capacidade de transformação e distribuição para os hotéis em Cabo Verde, sobretudo para o Sal e Boa Vista.

Segundo os responsáveis municipais, ainda no turismo existem outros projectos em “perspectiva” (uma unidade hoteleira e um centro de promoção de actividades ao ar livre) no Tarrafal de Tarrafal de Monte Trigo, à volta de 130 mil contos.

No sector alimentar, Porto Novo poderá receber um projecto que tem a ver com a comercialização de cereais, a cargo da Ilha Verde, na forja desde há três anos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.