“Tem havido uma boa sintonia e articulação entre o Ministério da Agricultura, as Câmaras Municipais, as associações de criadores, as cooperativas e também os agricultores e criadores”, disse Jorge Santos, que se manifestou “satisfeito” por ter encontrado “um ambiente normal e com gente muito engajada no salvamento do gado e em perspetivar os próximos meses de junho, julho e agosto”.

Jorge Santos, que se encontrava de visita parlamentar, acompanhado dos outros deputados do Movimento para a Democracia (MpD) eleitos por Santo Antão, Damião Medina, Armindo Luz e Adilson Fernandes, disse ter verificado “com alguma satisfação” que “o programa está a ser implementado, nas suas diferentes vertentes, nomeadamente a nível do salvamento do gado, da criação de emprego e da mobilização de água”.

O presidente da casa parlamentar disse ter constatado que, a nível das câmaras municipais, “têm sido criados vários empregos, principalmente nas zonas altas”, mas reconhece que ainda existe a necessidade de “criar cada vez mais empregos” na ilha de Santo Antão.

“A criação de emprego é, possivelmente, a vertente mais importante do programa de mitigação dos efeitos da seca e mau ano agrícola” disse Jorge Santos, explicando que é a vertente que “permite criar os rendimentos com que as famílias vão conseguindo debelar os efeitos da seca, não só, no salvamento de gado mas também no sustento das suas famílias”.

“A nível de Santo Antão, os criadores de gado estão a dar boa utilização aos vales-cheque”, disse Jorge Santos, destacando o facto de “o gado continuar a produzir e de não se verificar casos visíveis de desnutrição”, razão porque chega à conclusão de que “é um gado que está equilibrado”.

Durante esta visita parlamentar, os deputados do MpD eleitos por Santo Antão mantiveram contacto com os delegados do Ministério da Agricultura e com técnicos das autarquias como forma de melhor entenderem o funcionamento do programa a nível da ilha.

Esta visita serviu de “trabalho de casa” na preparação do debate sobre o Programa de Emergência para Mitigação da Seca e do Mau Ano Agrícola que terá lugar, este mês, no parlamento.