Este doutoramento, o primeiro a ser realizando em Cabo Verde, e cujo despacho de acreditação foi emitido desde os finais de 2017, pela ministra da Educação, insere-se no âmbito do projecto das redes locais para o turismo sustentável e inclusivo em Santo Antão (Raízes), promovido pela Associação para a Defesa do Património de Mértola, Portugal.

O presidente da Associação para a Defesa do Património de Mértola, Jorge Revés, confirmou à Inforpress o arranque, a partir de Setembro, do doutoramento, informando que os interessados têm até finais de Junho para proceder às inscrições.

Também, no âmbito do projecto Raízes, co-financiado pela União Europeia e o Instituto Camões (Portugal), foi concluído, este domingo, no Porto Novo, o curso de agentes de desenvolvimento em turismo, com participação de 22 jovens das ilhas de Santo Antão e São Nicolau.

A formação, homologada pelo Instituto de Emprego e Formação Profissional (IEFP), decorria desde o mês de Março, abrangendo uma componente teórica de 536 horas e ainda um período de formação prática em contexto de trabalho.

O projecto Raízes, que está a ser implementado em Santo Antão desde 2017, tem como objectivo promover o turismo sustentável como factor de geração de rendimentos e de melhoria das condições socio-económicas das populações em Santo Antão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.