Ivan Sabino disse à Inforpress que “o processo é simples e pode ser conseguido utilizando os alambiques existentes em Santo Antão” e calcula que, com uma pipa de 500 litros de “calda” seria possível produzir à volta de 55 a 60 litros de ‘etanol’ (álcool) a 70 por cento (%) para desinfecção.

“Partimos do caldo da cana-de-açúcar e após a fermentação obteríamos o ‘vinhoto’ que tem cerca de 08% de álcool puro e, mediante uma destilação controlada com um alcoómetro obteríamos ‘etanol’ para desinfecção”, explicou Ivan Sabino.

O bioquímico Ivan Sabino disse que o preço do litro de álcool produzido localmente ficaria mais barato do que o importado e, tendo em conta a falta desse produto no mercado farmacêutico nacional, a produção local seria uma alternativa viável e com potencial para abastecer a ilha e o país com álcool a 70%.

Ivan Sabino é responsável pelo controle de qualidade dos produtos da empresa “Water Solutions”, sediada no Paul, que produz água para consumo humano, a baixo custo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.