De acordo com uma nota do INE, o ritmo de crescimento situou-se, entretanto acima da média da série.

Ainda segundo a mesma fonte, contribuíram para esse abrandamento do ritmo de crescimento os sectores do turismo, da construção civil e indústria transformadora, cuja conjuntura económica foi desfavorável.

Segundo o INE, no sector do turismo o indicador de confiança manteve a tendência descendente do último trimestre, evoluindo negativamente face ao trimestre homólogo, a conjuntura no sector é desfavorável.

Os empresários, de acordo com a mesma fonte, apontaram a insuficiência da procura e o excesso de burocracia e regulamentações estatais como sendo o principal obstáculo do sector no 1º trimestre de 2019.

Em relação ao sector de construção, o indicador contrariou a tendência descendente dos últimos trimestres, mas a média da série situou-se abaixo da média e evoluindo negativamente face ao trimestre homólogo.

A conjuntura é igualmente desfavorável e os empresários apontaram o nível elevado da taxa de juros e as dificuldades na obtenção de crédito bancário como sendo os principais constrangimentos do sector no quarto trimestre de 2018.

A mesma situação foi registada ao nível da indústria transformadora. Neste sector o INE adianta que o indicador se situou abaixo da média da série e evoluiu negativamente face ao trimestre homólogo com a conjuntura no sector a sair desfavorável.

As frequentes avarias mecânicas nos equipamentos e a falta de mão-de-obra qualificada foram os principais constrangimentos do sector no decorrer do primeiro trimestre de 2019 foram apontados pelos empresários como sendo os motivos para esta situação.

Conjunturas favoráveis foram, entretanto, registadas nos sectores do comércio em estabelecimentos, comércio em feira e transporte e serviços auxiliares aos transportes e turismo residencial.

No que se refere ao comércio em estabelecimentos os dados mostram que o indicador de confiança registou o valor mais alto dos últimos 67 trimestres consecutivos, evoluindo positivamente face ao mesmo período do ano 2018.

Ao nível do comércio em feira, o indicador de confiança situou-se acima da média da série e evoluiu positivamente face ao trimestre homólogo com conjuntura no sector a manter-se favorável.

Situações idênticas foram registadas ao nível do transporte e serviços auxiliares aos transportes e do turismo residencial, entretanto insuficientes para suplantar os resultados negativos dos outros sectores.

Apesar de apresentar resultados positivos, os empresários apontaram excesso de burocracia e regulamentações estatais e as dificuldades na obtenção de créditos bancários como sendo os principais constrangimentos registados no 1º trimestre 2019.

Inforpress/fim

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.