Em declarações à Inforpress, o ponto focal do codex em Cabo Verde , Hélder Lopes, avançou que o projecto foi lançado há 4 anos pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e pela Organização Mundial de Saúde (OMS), visando capacitar as comissões nacionais dos países africanos.

Segundo explicou, neste momento ,o país já dispõe de uma estrutura só que funciona de forma intermitente, mas a ideia e coloca-la a funcionar de forma activa de modo a participar em todas as actividades promovidas pela codex internacional.

Hélder Lopes assegurou que, para os próximos três anos, o projecto vai estar focalizado na estruturação da comissão nacional, na participação do país nos trabalhos do codex melhorado e reforçado, no engajamento e sensibilização dos decisores do país e informar e sensibilizar os operadores económicos e profissionais do sector alimentar e os consumidores.

Na ocasião ,adiantou que o projecto está orçado em 180 mil dólares, sendo que 105 mil dólares foram disponibilizados pelo fundo e os restantes canalizados pelo país.

Criado em 1963 pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e a Alimentação (FAO) e pela Organização Mundial de Saúde (OMS), o Codex Alimentarius tem por objectivo orientar, promover o desenvolvimento e criação de definições e exigências para os alimentos, a fim de contribuir para a sua harmonização, facilitando, desta forma, o comércio internacional.

O Codex Alimentarius é um órgão intergovernamental que integra 186 estados membros, incluindo a União Europeia, organização de integração económica regional e os seus órgãos subsidiários.

A cerimónia de lançamento contará com a presença do ministro da Saúde e da Segurança Social, representante da OMS, da FAO e vários especialistas nacionais e internacionais nesta área.
AV/JMV

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.