A nível de sequeiro, o cartucho-do-milho está a afectar a zona Norte deste concelho, segundo os agricultores locais, que realçam, porém, a intervenção do pessoal do Ministério da Agricultura e Ambiente no combate a essa praga, que ataca a cultura do milho ao longo de todo o processo de crescimento, floração e fortificação.

No regadio, essa praga, que chegou a Santo Antão em 2018, a partir do concelho da Ribeira Grande, foram detectadas em algumas zonas, como Casa de Meio, Chã de Mato/Ponte Sul, Jorge Luís, Martiene e Alto Mira.

João Lima, líder de uma associação de agricultores em Ribeira das Patas, confirmou que a praga dos gafanhotos, não obstante o seu combate por parte deste ministério, continua a preocupar os lavradores nas zonas altas desse vale, com destaque para Lagoa/Catano.

Os técnicos do MAA estão, há algumas semanas, “no terreno” a combater essas pragas, que estão a tirar o sono aos agricultores em algumas zonas do interior do município do Porto Novo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.