O único camião da Câmara Municipal do Porto Novo, operacional neste momento, tem-se deslocado, diariamente, ao Planalto Norte, uma das zonas mais afectadas pela seca, mas, mesmo assim, as dez toneladas de água auto-transportadas destinam-se, somente, a abastecer às populações.

A Associação dos Criadores de Gado do Porto Novo avançou que a situação, que era “complicada”, agravou-se ainda mais com a avaria, já há algum tempo, dos auto-tanques da delegação do Ministério da Agricultura e Ambiente e da Cáritas Cabo-verdiana, estando, neste momento, a classe “de braços cruzados”.

No caso do Planalto Norte, Fidel Neves, porta-voz dos criadores, confirmou à Inforpress que a “situação está deveras difícil” para as famílias dessa localidade, que vivem da pecuária, as quais esperam que os auto-tanques retomem o transporte de água, “o quanto antes possível”, para socorrer os animais.

Também, na zona Sul, os criadores estão a passar por “dias difíceis” devido a dificuldades na aquisição de água para o gado, alertou a associação de criadores, informando que, no caso da zona baixa do Porto Novo, os pastores estão a recorrer a viaturas particulares.

Os criadores das zonas altas do município do Porto Novo, a enfrentar uma das piores secas dos últimos dez anos, têm feito, insistentemente, apelos ao Governo no sentido de disponibilizar mais um camião auto-tanque ao município do Porto Novo, com o maior efectivo pecuário do país, à volta de 23 mil cabeças de gado.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.