Essa decisão policial gerou algum protesto das peixeiras, todas chefes de família, que desejam agora que a edilidade crie condições para continuarem a exercer a sua actividade profissional e poderem, assim, sustentar os seus filhos.

Falando à Inforpress, algumas das peixeiras pediram à câmara do Porto Novo a criação de um espaço adequado mesmo em Abufadouro, onde possam tratar e vender o pescado, sem criar constrangimentos aos moradores.

O edil do Porto Novo prometeu receber uma representação das peixeiras para abordar essa situação e encontrar uma alternativa para essas vendedeiras do pescado.

A cidade do Porto Novo, com mais de 50 peixeiras, dispõe de uma peixaria, situada no centro comercial, que consegue apenas albergar parte deste pessoal.

Saliente-se que os operadores de pesca artesanal locais têm vindo, nos últimos anos, a reclamar a construção de um mercado de peixe na cidade do Porto Novo.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.