Segundo os moradores, o fumo expelido por essa fábrica, situada em pleno centro da cidade do Porto Novo, tem estado a dar cabo da saúde das pessoas que moram nas imediações, pelo que, depois de várias tentativas, sem sucesso, junto das autoridades municipais e sanitárias no sentido de se pôr cobro à situação, decidiram recorrer aos tribunais.

“Já entregamos uma queixa ao tribunal. Esperemos que sejam tomadas medidas para impedir a fábrica de continuar a produzir o fumo que está a dar cabo na saúde das pessoas “, avançou um dos moradores, Pedro Cruz, informando que a intenção não é fechar a fábrica, mais sim resolver o problema do fumo prejudicial à saúde.

Além do queijo, essa unidade, pertencente a um grupo de privados, produz ainda charcutarias e carne defumado.

Em Abril, a Câmara Municipal do Porto Novo informara que o problema do fumo produzido pela fábrica de queijo estava a ser resolvido para o alívio dos moradores que, nos últimos anos, tem vindo a queixar-se dessa situação.

Nessa altura, a edilidade informou que “alguns arranjos” estavam a ser feitos e que o problema ficaria resolvido em pouco tempo.

A preocupação foi já levantada, por várias vezes, na Assembleia Municipal, mas o facto que ainda continua a tirar o sono aos moradores.