A presidente desta associação, Rosa Miranda, informou que a decisão de se adiar a inauguração dessa unidade, também, conhecido por “casa de gelo”, partiu dos parceiros do projecto, tendo em conta a necessidade de se prevenir contra a pandemia do novo coronavírus, cujos primeiros casos foram registados em Cabo Verde.

Os pescadores em Monte Trigo manifestavam-se “animados” com a possibilidade de os problemas de conservação do pescado, que têm afectado, há um ano, essa aldeia piscatória isolada no interior do Porto Novo, ficarem ultrapassados ainda neste mês de março, com a abertura da “casa de gelo”.

O projecto, promovido pela associação de desenvolvimento de Monte Trigo, Agripesca, foi co-financiado, em mais de oito mil contos, através do programa das pequenas subvenções do GEF/SGP, a cargo das Nações Unidas, e do Fundo do Turismo, contando ainda com a parceria da câmara do Porto Novo e Águas de Ponta Preta (Sal).

Graças à instalação de painéis solares e de uma nova máquina de gelo, essa unidade vai poder produzir, diariamente, mil quilos de gelo, permitindo, assim, o acesso dos pescadores a esta matéria-prima imprescindível para a actividade pesqueira.

Esse empreendimento insere-se no quadro do projeto sobre o reforço do acesso à energia sustentável em Monte Trigo, que está, igualmente, a beneficiar de um outro projeto, desta feita, visando o reforço da central fotovoltaica local, instalada em 2012, nessa comunidade, com cerca de 300 habitantes.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.