O líder associativo, Jailson Monteiro, confirmou que, nesta altura, não existe nenhuma frente de trabalho nessa localidade, onde “muitas” famílias, sobretudo as mais afectadas pela seca, precisam de emprego para garantir a sua subsistência.

Segundo este responsável, a edilidade portonovense “devia procurar formas de abrir uma frente de trabalho” em Ribeira dos Bodes para atender as dificuldades nas famílias que dependem do emprego público, para conseguir algum rendimento.

Também, em outras localidades rurais do Porto Novo, caso do Planalto Norte, as populações têm insistido na necessidade da autarquia abrir frentes de trabalho, para atenuar os efeitos de mais um ano de seca, neste concelho.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.