Duas mil setecentos e oitenta e oito pessoas (52% da população) no concelho da Ribeira Brava de São Nicolau vivem na pobreza e 875, cerca de 48%, estão em situação de extrema pobreza, segundo dados divulgados pelo INE.

Esses são os resultados definitivos do III Inquérito às Despesas e Receitas Familiares (IDRF) 2015, realizado pelo Instituto Nacional de Estatística, e que foram apresentados terça-feira, na Ribeira Brava, São Nicolau, que hoje celebra o dia do município.

Segundo a pesquisa, 52% da população do concelho é pobre, o que corresponde a 2788 pessoas, sendo que 48% são mulheres e 51% encontram-se no meio urbano, e 68% da população que vive em extrema pobreza residem no meio rural.

De acordo com os dados do INE, 56% da população pobre tem menos de 25 anos, e 53% tem o nível de escolaridade básico.

O consumo médio anual por pessoa no concelho é de 145.262 escudos.

A nível nacional, os dados do INE referem que 35% da população cabo-verdiana, correspondente a 179.184 pessoas, é pobre, sendo que 53% são mulheres, e a maioria vive em meio urbano (51%), sobretudo na ilha de Santiago (58%), e na Cidade da Praia (22%).

De acordo com a mesma fonte, 44% dessas famílias são monoparentais e 61% dos agregados vivem com seis ou mais pessoas.

Os resultados revelam que 43% das famílias cabo-verdianas considera que a situação económica do país é muito má, 10% acha que é boa, e dos 60% que consideram pobres, 95% dizem-se felizes.

O objetivo do IDRF é medir as estruturas das despesas de consumo dos agregados familiares, permitir a atualização dos , viabilizar a estimação das despesas de consumo dos particulares de modo a apurar a componente principal do consumo privado que integra o Sistema de Contas Nacionais.

SAPO c/ Inforpress