Segundo o vice-presidente do INE, Celso Ribeiro, o SIEF, apresentado hoje aos jornalistas, na cidade da Praia, é o resultado do diálogo permanente entre o INE, os utilizadores e os produtores, e visa suprir as necessidades existentes relativamente à produção das estatísticas.

Este produto, informou, contém dados de 2007 até 2018 sobre os indicadores macroeconómico sobre a economia nacional e internacional, e os referidos indicadores são expressos em valores monetários, absolutos, relativos e taxas de variação, entre outros.

Informou que a nível nacional os dados fornecidos são do INE, do Banco de Cabo Verde e do Ministério das Finanças do Gabinete do Planeamento, enquanto os dados internacionais foram fornecidos pelo Banco Mundial e o Fundo Monetário Internacional.

Com este sistema, Celso Ribeiro justificou que não pretendem substituir as publicações do INE, mas sim um complemento dessas publicações disponibilizadas pelo instituto.

Segundo a mesma fonte, esta base contém todas as informações que permitirá ao utilizador manusear e construir tabelas e gráficos, através de um “simples cruzamento, seleccionado o ano e variável e facilmente terá o indicador que pretende”.

A mesma base, ajuntou, tem a vantagem de fornecer o indicador, os links que permitirão ao utilizador ir directamente para a publicação de forma a complementar com descritivos o número que se pode extrair através da síntese.

“Tentamos disponibilizar as estatísticas com melhores qualidade e mais atempadamente de forma a suportar as decisões, porque as estatísticas económicas constituem o pilar para o desenvolvimento de qualquer país e neste contexto o INE abraçou esse desafio”, disse, observando que estão cientes das dificuldades, visto que as produções pressupõem recursos avultados e as estatísticas económicas têm sido um “parente pobre do sistema”.

Segundo o técnico do departamento estatísticos Janecas Forte nesta primeira síntese apresentaram dados até 2018, mas, ainda este ano, vão disponibilizar uma versão mais actualizada com os dados de 2019.

Entretanto, a partir de 2020 o INE fará duas publicações anuais, isto é 60 dias após o fecho do semestre.

No que se refere aos dados internacionais, disse que será feita apenas uma publicação anual, no último semestre.

Os dados em síntese estão disponíveis no site do INE, mas futuramente serão alojados numa plataforma web.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.