O titular das pastas de Indústria, Comércio e Energia, que falava aos jornalistas após uma reunião com a terceira Comissão Especializada dos Assuntos da Economia, Ambiente e Ordenamento do Território, disse que o Orçamento de Estado para 2019 prevê 209 mil contos para o funcionamento e investimento do seu ministério.

“Os números apresentados aqui referem-se à contribuição do Tesouro para o orçamento de funcionamento e de investimentos a nível do ministério”, disse o governante, completando que os “vários projetos” a serem desenvolvidos, no âmbito do programa nacional de sustentabilidade energética, contarão com o financiamento externo.

Alexandre Monteiro referiu-se ainda a “algumas medidas” e “políticas importantes” que estão no Orçamento do Estado para 2019 e que visam tornar o país numa zona de economia de circulação, nomeadamente a criação de Centro Internacional do Comércio e o Centro Internacional da Indústria.

Tudo isto, disse, se insere numa perspetiva de melhoria do ambiente de negócios, criação de incentivos para a concretização e alcance dos objetivos traçados para os setores nos setores de indústria, comércio e energia.

Ainda no rol dos principais investimentos para 2019, Alexandre Monteiro mencionou a” “governança do setor energético”, que implica a melhoria de toda a governança do setor, bem como em “projetos importantes” ligados à produção da água e eletricidade, de iniciativa pública, que serão depois retrocedidas às empresas concessionárias da Electra.

“Há projetos institucionais de melhoria do sistema nacional de qualidade, reforço da fiscalização, atividades inspetivas”, acrescentou a mesma fonte, referindo, de uma forma muito geral, a todo o projeto de modernização e reforço da rede de distribuição de energia.