Paulo Veiga falava à imprensa, no Mindelo, no segundo dia de visita às comunidades piscatórias da ilha, no âmbito da preparação do Orçamento do Estado para 2019, que o deverá levar ainda às ilhas de Santo Antão e Santiago.

Segundo o responsável, o investimento no mercado, que será feito através da PRAO-CV, passa pela recuperação do pontão anexo à infraestrutura e a transformação e melhoramento do mercado na vertente do serviço de venda de peixe.

Na comunidade piscatória de Salamansa, por exemplo, a associação local dos pescadores pediu “mão dura” na fiscalização sobretudo a pesca ilegal e ajuda do Governo na compra de uma embarcação para a pesca de pequena escala, não artesanal.

O governo concordou com reivindicação sobre a fiscalização e informou que o Governo, no âmbito da nova orgânica do Ministério da Economia Marítima, criou a unidade de garantia de qualidade e fiscalização.

“Começamos esta semana um novo plano de fiscalização, em todo o Cabo Verde, e ontem partiu de São Vicente à bordo de um navio da Guarda Costeira alguns inspetores de pescas rumo a Santa Luzia”, ajuntou a mesma fonte, uma forma, ajuntou, de “dar resposta” a reclamações dos pescadores e da Biosfera I.

“Vamos reforçar a fiscalização, mas apelamos às comunidades piscatórias no sentido de ver que todos somos fiscais, pois o Estado não tem capacidade e recursos humanos suficientes para estar em todo sítio e poder fiscalizar e agir no momento”, concretizou Paulo Veiga, lembrando que é preciso fiscalizar, mas também “denunciar e chamar atenção” para se poder diminuir a pesca ilegal e evitar que tanto os oceanos como os pescadores sejam prejudicados.

Sobre a compra da embarcação para a Associação de Pescadores de Salamansa, o secretário de Estado disse que “acolheu bem” a proposta e que fica a aguardar pelo projeto que a associação diz ter já finalizado.

Para além de Salamansa, do Mercado de Peixe e da Complexo de Pesca da Cova de Inglesa, que visitou na manhã de hoje, Paulo Veiga desloca-se na tarde de hoje à comunidade piscatória de São Pedro e, posteriormente, a Santo Antão (fim-de-semana) e Santiago (na próxima semana) no âmbito da preparação do Orçamento do Estado para 2019.