O projecto de adopção de água a zona alta de Ponta Verde, situada a norte do município de São Filipe, está orçado em 15 mil contos e é cofinanciado pelo Governo de Cabo Verde, Câmara de São Filipe e a empresa intermunicipal de águas, Águabrava.

Com a conclusão deste projecto espera-se que as zonas de Piasco, Fontinha, Boca Larga e Roqueira que integram a comunidade de Ponta Verde passem a ser abastecidas a partir de rede pública, mas também com rede de distribuição permitindo a ligação domiciliária de água nas diferentes localidades.

Para além deste projecto que representa um importante investimento, prevê-se ainda para este ano o início da implementação de um investimento muito esperado no sector de abastecimento de água que é o de adução de água a Campanas de Cima a partir da extensão da rede de Lomba ou de Inhuco consoante viabilidade técnica e económica.

No dizer do administrador/delegado da Águabrava, Rui Évora, trata-se de um projecto orçado em cerca de 60 a 70 mil contos e que será financiado pela Águabrava com a comparticipação da Câmara de São Filipe.

A empresa foi autorizada pela Assembleia-geral, na sessão de Fevereiro, a contrair um empréstimo bancário no valor de 150 mil contos para financiamento de vários projectos, sendo o mais importante o de adução de água a Campanas de Cima que deverá iniciar ainda no primeiro semestre deste ano.

No quadro do plano de contingência de prevenção ao novo coronavírus (Covid-19), a Águabrava suspendeu a campanha de corte de ligação domiciliária de água por falta de pagamento nas ilhas do Fogo e da Brava, situação que vai permanecer, segundo Rui Évora, enquanto estiver em vigor o plano de contingência.

A mesma fonte indicou ainda que foram tomadas outras medidas de prevenção, nomeadamente de restrição das pessoas nos balcões de atendimento e de pagamento das facturas quer na sede da empresa em São Filipe como nas suas delegações nas duas ilhas.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.