Desde final de semana, a azáfama no campo é grande devido, as chuvas ocorridas no último dia de agosto e nos primeiros dias de setembro com os agricultores das zonas tradicionalmente mais agrícolas a refazerem as sementeiras efetuadas em finais de julho e princípio de agosto e com os de centro e sul da ilha, a parte árida e semi-árida, a iniciarem as sementeiras.

Apesar do atraso na queda das chuvas, os homens do campo estão esperançados numa boa campanha agrícola.

Em algumas localidades, as chuvas caíram com alguma intensidade e a quantidade registada entre 31 de agosto e 05 de setembro é superior à soma das chuvas registas durante o ano de 2017, considerado um dos piores anos de seca.

Em algumas zonas, as plantas de milho e feijões estão em fase mais avançada de crescimento, como nas zonas altas dos Mosteiros, onde os agricultores estão a proceder à segunda monda.

JR/JMV