Esta possibilidade foi admitida pelo presidente da Câmara Municipal de Santa Catarina do Fogo, Alberto Nunes, após uma visita dos três presidentes de câmara da ilha, acompanhados do administrador/delegado da Águabrava, a uma empresa de águas e outra da área de saneamento e tratamento de resíduos sólidos em Portugal, no quadro da cooperação descentralizada.

Alberto Nunes indicou que a visita e os encontros de trabalho foram “importantes e permitiram “troca de experiências”.

“Temos o projecto comum de construção do aterro sanitário para a ilha e a visita era para ver a experiência da empresa portuguesa”, disse Alberto Nunes, avançando que nos próximos meses as três câmaras vão empenhar-se na construção do aterro já que o espaço foi localizado e há um financiamento do Sistema das Nações Unidos, no valor de 90 mil dólares, cerca de 10 mil contos.

“Está tudo pronto para a transferência para que a ilha passe a dispor desta infra-estrutura sanitária muito falada mas que nunca aconteceu”, acrescentou.

“A Águabrava vai assumir esta componente e quem vai assinar protocolo com as Nações Unidas para gerir os recursos é esta empresa”, disse Alberto Nunes, adiantando que os autarcas tiveram recentemente um encontro e delegaram esta função na Águabrava para assinar protocolo e dar inicio à construção do aterro sanitário.

O autarca disse que foram tomadas algumas medidas em relação a esta empresa, mas que serão anunciadas pelo administrador/delegado, por serem de carácter técnico.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.