Entre abril e junho, o emprego avançou 0,2% na zona euro e 0,3% na UE, face aos primeiros três meses do ano, tendo Portugal registado o terceiro maior recuo na comparação trimestral (-0,6%).

No segundo trimestre, o crescimento do emprego abrandou quer em termos homólogos – cresceu 1,4% na zona euro e 1,2% na UE no primeiro trimestre – quer na variação e cadeia (0,4% e 0,3%, respetivamente).

Chipre (3,0%), Eslovénia (2,6%) e Espanha (2,2%) foram os países onde o emprego mais cresceu face ao segundo trimestre de 2018, tendo recuado na Lituânia (-0,7%), Polónia (-0,4%) e Roménia (-0,2%).

Na comparação trimestral, a Grécia e Chipre registaram a maior subida do emprego (0,7%), seguidos da Polónia e Eslovénia (0,6% cada), e da Bélgica, Holanda, Hungria e Reino Unido (0,4% cada).

A Croácia (-1,6%), a Lituânia (-1,1%), Portugal e a Irlanda (-0,6% cada) registram os maiores recuos.

Face ao período homólogo, o emprego subiu 0,8% em Portugal, no segundo trimestre.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.