A expansão do produto interno bruto (PIB) da terceira economia mundial em relação ao trimestre anterior foi de 0,5%, indicaram os dados agora publicados.

No primeiro trimestre do ano, o PIB japonês havia recuado 0,6% em relação ao mesmo período de 2017, devido a uma queda no investimento privado e público.

De acordo com o Governo, a economia japonesa recuperou da contração do trimestre anterior e evitou entrar em recessão, devido, “principalmente, ao consumo das famílias e ao investimento empresarial”, informou o Governo.

O consumo das famílias constitui um fator chave no quadro da “Abenomics”, a estratégia de crescimento económico do Governo, liderado por Shinzo Abe, e que visa pôr termo ao ciclo deflacionário que afeta o Japão há quase duas décadas.

Neste sentido, o executivo nipónico tem vindo a pressionar o setor privado a a elevar os salários de modo a revitalizar a terceira economia mundial, potenciando o principal motor de crescimento: o consumo.

Os investimentos de capital corporativo, outro elemento de peso na economia japonesa, subiram 5,2% em termos anuais e 1,3% em relação aos três meses anteriores.

As exportações mantiveram a tendência de crescimento, subindo 0,8%, em relação a 2018, e 0,2% em relação ao trimestre anterior.

Em contrapartida, o investimento público desceu 0,5% e 0,1% em temos anuais e trimestrais, respetivamente