A contração do Produto Interno Bruto (PIB) surpreendeu os analistas britânicos, que esperavam inclusivamente um crescimento da economia do Reino Unido em fevereiro.

Esta contração do PIB ocorreu antes da propagação da covid-19 no país, que levou o Governo de Boris Johnson, um mês depois, a adotar medidas de restrição de movimentos da população para evitar uma extensão sem controlo da doença.

O responsável pelos dados do PIB da ONS, Rob Kent-Smith, disse hoje que os números indicam que a economia praticamente não cresceu nos últimos meses no país, mesmo antes de se poderem avaliar os “efeitos completos” da covid-19.

“A maioria dos serviços cresceram, mas a indústria continuou a cair. A construção mostrou um recuo significativo em fevereiro, devido à chuva e às inundações que afetaram a construção de casas”, adiantou.

Em março, a ONS tinha informado que a economia britânica cresceu 1,4% em 2019 e que o PIB se tinha mantido estagnado, com um crescimento de 0%, no último trimestre do ano passado, face aos três meses precedentes.

Em março também, o Governo deu a conhecer cálculos elaborados antes do impacto da covid-19, e reviu em baixa de 1,4% para 1,1% a previsão de crescimento em 2020, ainda que o país, segundo os analistas, possa sofrer uma recessão este ano devido às consequências da covid-19.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.