Segundo publicação do ministro do Turismo e Transportes, Carlos Santos, os profissionais a serem capacitados incluem taxistas, polícias de fronteiras, seguranças de aeroportos, entre outros.

“Para promover a qualidade do serviço prestado aos visitantes, visando melhorar não só as competências em acolhimento e atendimento aos clientes/turistas. E serem transformados em autênticos agentes promocionais do destino Cabo Verde”, salientou o ministro.

A formação para a ‘nova normalidade no turismo” estende-se aos guias turísticos, ainda segundo a mesma fonte, explicando que o novo cenário provocado pelo coronavírus “exige novas dinâmicas” na procura e na oferta e “reflete uma maior exigência” sobre o setor.

 A formação visa ainda desenvolver as suas competências no quadro da especialização dos recursos humanos afetos ao setor do turismo em Cabo Verde, ainda segundo Cabo Verde Santos.

Com esta ação, o Governo cabo-verdiano espera ainda dos formandos “maior empenho” na melhoria da qualidade do serviços e uma política de sustentabilidade e segurança sanitária.

 “Para aprofundar os conhecimentos sobre os recursos e atrativos turísticos, reforçar os conhecimentos de História e Cultura cabo-verdiana e ainda conceitos básicos de segurança sanitária”, concluiu.

 Cabo Verde regista um acumulado desde 19 de março de 2.583 casos positivos de covid-19, com 1.911 recuperados, 25 óbitos e dois estrangeiros transferidos para os países de origem.

Em África, há 20.288 mortos confirmados em mais de 957 mil infetados em 55 países, segundo as estatísticas mais recentes sobre a pandemia naquele continente.

 A pandemia de covid-19 já provocou mais de 689 mil mortos e infetou mais de 18,1 milhões de pessoas em 196 países e territórios, segundo um balanço feito pela agência francesa AFP.

A doença é transmitida por um novo coronavírus detetado no final de dezembro, em Wuhan, uma cidade do centro da China.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.