Jorge Alves fez este anúncio durante um encontro realizado hoje, na Cidade da Praia, entre o primeiro-ministro, José Ulisses Correia e Silva, o governador do Banco de Cabo Verde (BCV), João Serra, e os representantes dos bancos comerciais e das seguradoras.

Com o aumento dos números de pessoas que estão em casa a trabalhar, a Garantia teve de incluir nas apólices a alteração dos locais de riscos, passando a ser considerada também o local de risco as residências das pessoas.

“Isto permite que, se ocorrer algum acidente às pessoas em teletrabalho, nas suas próprias residências, dentro do normal horário de trabalho que tinham nas suas empresas, estão cobertas com o seguro de acidentes de trabalho”, comunicou.

A seguradora, que recebeu uma proposta por parte do Estado de fazer seguro de vida para todos os profissionais da saúde e das forças polícias, garantiu que estão disponíveis para fazer isso e que esta resposta será dada oficialmente esta quinta-feira.

Ainda, sugeriu que no futuro, neste tipo de seguro de risco, sejam incluídas situações de pandemia.

Outra proposta sugerida pela seguradora, para evitar aglomerações e para permitir algum desafogo às empresas, é o alargamento do prazo para o pagamento dos seguros.

Ou seja, em vez de as pessoas ou as empresas pagarem o seguro num prazo de 15 dias, que este prazo seja alargado para 45 dias, sendo que neste prazo de moratório os seguros continuam completamente válidos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.