Esta informação foi avançada pelo primeiro-ministro, Ulisses Correia e Silva, no rol das medidas implementadas pelo executivo por causa da quarentena a que a ilha da Boa Vista foi submetida de hoje até 4 de Abril, depois do registo do primeiro caso do Covid-19, em Cabo Verde.

Anunciou ainda que todas as operações e actividades relacionadas com a aplicação do Plano de Contingência e das medidas resultantes do estado de emergência ficam sob o comando de um representante do Serviço Nacional da Protecção Civil, que será deslocado à ilha.

Depois de Cabo Verde ter registado o primeiro caso positivo de Covid-19 a um cidadão de nacionalidade inglesa na ilha da Boa Vista, o chefe do Governo pediu colaboração da população e exortou à calma e tranquilidade, com a indicação de seguirem as instruções das autoridades do País.

Ulisses Correia e Silva reforçou a população a informação de que o contágio entre as pessoas é o responsável pela transmissão desta doença, pelo que apelou ao cumprimento com rigor às instruções e informações de distanciamento social.

“Nada de cumprimentar com beijos, com abraços ou com apertos de mãos. Nada de festas. Nada de ir ao mar, outras situações que possam criar ajuntamento de pessoas. Este não é o momento para isto. Fiquem em casa. Isto é uma guerra e na guerra as pessoas cumprem as ordens, explicitou o chefe do Governo.

Declarou ainda que esta guerra ganha-se com comportamento e mudanças de hábitos de cada um, de cada pessoa e de cada família, pelo que apelou às pessoas para ficarem em casa e que em caso de sintomas contactem a Delegacia de Saúde, por telefone.

A ilha da Boa Vista acordou hoje com o registo do primeiro caso registo da Covid-19, um cidadão inglês o que levou o Governo a decretar quarenta até 4 de Abril a toda a ilha.

em todo o mundo, entre as quais mais de 9.800 morreram.

Das pessoas infectadas, mais de 86.600 recuperaram da doença.

Depois de surgir na China, em Dezembro, o surto espalhou-se já por 177 países e territórios, o que levou a Organização Mundial da Saúde (OMS) a declarar uma situação de pandemia.

O continente europeu é aquele onde está a surgir actualmente o maior número de casos, com a Itália a tornar-se, na quinta-feira, no país do mundo com maior número de vítimas mortais, com 3.405 mortos em 41.035 casos.

A Espanha regista com 767 mortes (17.147 casos) e a França 264 mortes (9.134 casos).

Destaque também para o Irão, com 1.284 mortes em 18.407 casos.

Vários países adoptaram medidas excepcionais, incluindo o regime de quarentena e o encerramento de fronteiras.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.