O construtor automóvel alemão espera um impacto "significativo" nos resultados de 2020 e prevê nomeadamente uma "forte descida" dos resultados líquidos antes de impostos, para os quais tinha previsto até agora uma forte subida. Em 2019, os resultados líquidos da BMW diminuíram 29% para 5,0 mil milhões de euros.

"A partir de hoje fecharemos as fábricas europeias e nossa fábrica de Rosslyn", perto da capital Pretória na África do Sul, indicou o presidente executivo da BMW, Oliver Zipse, durante a conferência anual de apresentação de resultados de 2019.

Face a problemas de fornecimento e a uma queda da procura, os compatriotas Daimler e Volkswagen também já anunciaram interrupções da produção, bem como outros grupos do setor, tais como PSA, Renault, Fiat Chrysler, Ford, Nissan e Michelin.

"Como para muitos bens, a procura de automóveis vai baixar significativamente", afirmou Zipse.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.