Em declarações à Inforpress, o secretário-geral da CCB, Adriano Cruz, disse que a candidatura está aberta a qualquer empresa com ligação direta ou indireta ao turismo nacional, fornecedora da cadeia hoteleira, da restauração e serviços de “catering”, do “ship chandler”, entre outros.

A candidatura está aberta igualmente a qualquer especialista com potencial para a carreira de auditor e/ou consultor de SGQ poder candidatar-se ao programa, informou o secretário-geral da CCB.

“É um programa importante porque um dos problemas frequentemente apontados como handicap do acesso ao mercado do turismo cabo-verdiano tem a ver com a demonstração de qualidade por parte dos fornecedores nacionais”, sublinhou Adriano Cruz.

Este programa que permitirá a várias empresas da região de Barlavento a certificação em qualquer um dos Sistema de Gestão da Qualidade (SGQ), “é o caminho mais directo para assegurar a competitividade num mercado cada vez mais concorrido”, salientou a mesma fonte.

Cerca de um milhão de escudos cabo-verdianos é “o valor desagregado” que será investido pelo Estado de Cabo Verde em cada uma das empresas selecionadas, através do “Projeto de Competitividade para o Desenvolvimento do Turismo”, informou.

O programa é financiado pelo Banco Mundial e cofinanciado pelo “Projeto de Competitividade para o Desenvolvimento do Turismo”, coordenado pela Unidade de Gestão de Projetos Especiais.

O projeto tem a duração de nove meses, findos os quais as empresas estarão preparadas para a certificação, segundo as respectivas normas, disse Adriano Cruz.

A divulgação, selecção e imersão no programa (selecção das empresas, ateliês de imersão no programa); Formação de consultores/auditores são as várias fases do programa.

Do programa constam ainda as fases de introdução ao Sistema de Gestão, de acordo com os referenciais; Preparação das empresas para implementação do SG; Acompanhamento da auditoria externa e certificação.

Os critérios de selecção das candidaturas são as caraterísticas da empresa: Ramo de atividade (indústria, ambiente, logística, saúde, entre outros) e capacidade técnica e financeira para implementar o SGQ.

“Existem um total de 16 vagas para as empresas em cada uma das regiões, pelo que o critério “prazo é importante”, sublinhou a CCB.