O documento foi assinado no quadro de uma visita de trabalho a Cabo Verde de uma delegação santomense, chefiada pelo secretário de Estado de Indústria e do Comércio de São Tomé e Príncipe, Eugénio da Graça.

Segundo o presidente da Câmara de Comércio santomense, Jorge Correia, esse protocolo visa, sobretudo, trabalhar no sentido de fazer com que os produtos cabo-verdianos cheguem a São Tomé o mais depressa, a bom preço e com qualidade para que os santomenses conheçam os produtos cabo-verdianos e vice-versa.

“O nosso objectivo é trabalhar para criar riqueza e fazer com que os cidadãos santomenses possam trabalhar mais, criar maior riqueza e ter a possibilidade de ter uma vida melhor”, disse Jorge Correia, adiantando que em São Tomé devido à abundância de chuvas há muita produção que pode ser exportada para Cabo Verde.

A perspectiva é que essas trocas comerciais iniciem já nos próximos três meses e nesse particular a questão dos transportes aqui é fundamental.

O presidente da Câmara de Comércio de Sotavento (Cabo Verde), Jorge Spencer Lima realça que neste momento estão criadas as condições para dar o primeiro passo, já que existe disponibilidade para o transporte dos produtos pela via área.

“A nível dos transportes nós temos duas vertentes. Neste momento podemos dizer que a vertente área está solucionada. Já temos um voo que faz o percurso Luanda/São Tomé/Sal e que tem alguma disponibilidade de carga. Já encetamos contactos com a TAAG para que em cada voo, que é bissemanal, tenhamos uma disponibilidade de carga com produtos de São Tomé para Cabo Verde e de Cabo Verde para São Tomé”, explicou.

A capacidade do avião é até certo ponto limitado e por isso prevê que tudo que poder vier de São Tomé para a ilha do Sal vai ser absorvido.

“Temos o mercado local e também levamos em conta o mercado turístico e portanto há uma demanda muito forte de produtos e tudo que vier de São Tomé via área será absorvido”, disse Jorge Spencer Lima.

Nesta sexta-feira, 30, as duas câmaras de comércio vão realizar, na ilha do Sal, uma mostra de produtos santomenses para mostrar aos importadores e aos comerciantes do Sal que produtos São Tomé dispõe e que podem ser comercializados em Cabo Verde.

“São Tomé tem uma grande capacidade a nível de molúsculos, polvos, lulas e vários outros produtos e vamos fazer esse contacto com os importadores no Sal e os exportadores em São Tomé para que possamos utilizar muito rapidamente essa capacidade de carga disponível no voo que vem de Luanda São Tomé”, explicou.

O acordo foi assinado na presença do vice-primeiro-ministro e ministro das Finanças, Olavo Correia, do secretário de Estado santomense para áreas de Comércio e Indústria, Eugénio da Graça, que manifestaram o desejo de ver intensificadas as relações comerciais entre os dois países irmãos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.