O Instituto Nacional de Estatística (INE) no seu quadro estatístico do Comércio Externo registou a diminuição das reexportações em 61,4%, comparativamente ao mesmo período de 2019, em que o déficit da balança comercial teve uma diminuição de 23,9% com a taxa de cobertura a decrescer em 2,3 pontos percentuais.

De acordo com informações detalhadas pelo INE, no segundo trimestre do ano em curso, as exportações de Cabo Verde totalizaram 896 mil contos, correspondendo a um decréscimo significativo de 45,5% face ao mesmo período do ano anterior, isto é -748 mil contos.

A Europa continua sendo o principal cliente de Cabo Verde, absorvendo cerca de 91% do total das exportações cabo-verdianas, com a Espanha a liderar o ranking dos principais clientes de Cabo Verde na zona económica europeia, representando, no período em análise, 62,4% do total das exportações.

Os preparados e conservas de peixes, afiguram-se como os produtos mais exportados por Cabo Verde representando 56,5%, sendo que os peixes, crustáceos e moluscos posicionam-se em segundo lugar com 23,9% do total e os vestuários na terceira posição, com um peso de 5,8%.

O continente europeu, ainda de acordo com a fonte, continua a ser o principal fornecedor de Cabo Verde, com 73,5%) do montante total, contra 80,8% do mesmo período do ano transacto, com Portugal a liderar entre os fornecedores do país, com 49,1% do total (+7,5 p. p) em relação ao trimestre homólogo), seguido da China com 10,8% (+6,4 p.p.) em relação ao trimestre homólogo).

Países Baixos e Espanha, com respectivamente, 5,4% e 5,2% do total das importações no segundo trimestre de 2020, apresentam diminuições nas importações, quando comparado com o trimestre homólogo.

Os 10 principais produtos importados atingiram 52,1% do montante total das importações de Cabo Verde, contra os 50,3% alcançados por esses mesmos produtos no período homólogo, sendo que máquinas e motores com um peso de 10,4%, combustíveis com 9,6%, leite e lacticínios com 7,2%, reactores e caldeiras com 5,9% e arroz com 3,8% foram os mais importados.

Já as importações por grandes categorias de bens mostram que, no trimestre de 2020, todas as categorias do grupo evoluíram negativamente em relação ao mesmo período de 2019 e que os Bens de Consumo continuam sendo a principal categoria econômica de bens importados por Cabo Verde (52,9%), seguido dos Bens Intermédios (27,5%), Bens de Capital (10,0%) e Combustíveis (9,6%).

SR/ZS

Inforpress/Fim

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.