O ministro britânico para o ‘Brexit’, David Davis, admitiu hoje na Câmara dos Comuns que o executivo não fez uma avaliação formal do impacto da saída do Reino Unido da União Europeia (UE) na economia nacional.

Davis, que falava numa comissão da câmara baixa do parlamento britânico, disse que o Reino Unido deve estar preparado para “uma mudança paradigmática” na forma como a economia funciona, a um nível equiparável ao da crise financeira de 2008.

“Não foi feita uma avaliação sistemática do impacto”, disse Davis, antes uma “análise por setores” que não é “um prognóstico” sobre o que se vai passar na economia britânica após a saída da UE, prevista para 29 de Março de 2019.

Davis respondia a perguntas do presidente da comissão parlamentar para o ‘Brexit’, o trabalhista Hilary Benn, que considerou “bastante estranha” a decisão de não fazer uma avaliação, quando Londres se prepara para negociar a futura relação comercial com a UE dentro de semanas.

Os líderes europeus vão decidir na cimeira de 15 e 16 de dezembro se há condições para passar à segunda fase das negociações, relativa à futura relação comercial entre o Reino Unido e a UE e ao período de transição após o ‘Brexit’.

Inforpress/Lusa