A formadora Margarida Fernandes, em declarações à Inforpress, explicou que a acção formativa teve a duração de 15 horas, e que neste período tentararam orientar os jovens a desenvolverem as suas ideias de negócio dentro da política de emprego e empregabilidade.

Segundo a técnica, pretende-se demonstrar e apoiar os participantes na identificação e selecção das melhores ideias de negócios que poderão ser implementadas nas suas comunidades, tendo em conta a realidade, a experiência e a habilidade de cada formando.

Além disso, os formandos também terão a oportunidade de aprender a traçar os passos para o produto satisfazer o público-alvo, a forma como oferecer o produto e o impacto que este vai ter na comunidade e na sociedade em geral.

As expectativas, de acordo com a formadora, são várias, e creditam que após esta acção de capacitação possam ministrar outra formação com o próximo passo do programa GERME, que é o PIN – Planear e Identificar o seu Negócio, para prepará-los de forma a darem passos mais além do que ideias.

Adelaide da Lomba é uma das formandas, que faz a venda ambulante, sem nenhum planeamento prévio.

De acordo com a mesma, decidiu participar na formação porque sempre pensou em ter uma lanchonete e uma padaria própria e esta acção de capacitação será uma “mais-valia” para clarear mais a sua ideia e daí dar um passo em frente.

A formação iniciada hoje vai decorrer até a sexta-feira, na Escola Materna de Nossa Senhora do Monte.

Inforpress/fim

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.