Este programa, de acordo com o ministro da Agricultura e Ambiente, Gilberto Silva, prevê a dessalinização da água salobra, massificação do uso das energias renováveis na produção de água, reutilização das águas residuais na agricultura, massificação do uso de rega gota-a-gota.

Segundo o Governo, não obstante três anos de seca consecutiva, a garantia do abastecimento de cereais é “regular e estável”, com um prazo de cobertura média de 5,6 meses, “ultrapassando o período mínimo da garantia de abastecimento alimentar que é de 3 meses”.

“O abastecimento de mercados nacionais em produtos hortícolas é regular e estável”, disse o Governo, acrescentando que o preço dos produtos de base é, de uma forma geral, estável.

“Apenas 1% (por cento) da população, estimada no período de Junho-Agosto 2019, estaria em situação de insegurança alimentar”, indicou o executivo que acusou o Partido Africano da independência de Cabo Verde (PAICV-oposição) de erguer o “espantalho da fome em Cabo Verde”, além de estar, segundo o ministro da Agricultura, a fazer uma “espécie de festividade das dificuldades que os cabo-verdianos sempre tiveram”.

Para Gilberto Silva, com este comportamento o maior partido da oposição está a fazer um “péssimo trabalho” para a imagem de Cabo Verde, porque, disse, ninguém pensa em investir num país onde se passa a fome.

O OE-2020 contempla ainda linhas de crédito específicas para a agricultura e pecuária e incentivos fiscais para a certificação de produtos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.