Em conferência de imprensa ali mesmo no estádio, após visitar às obras e manter contactos com os responsáveis da empresa construtora e da Associação de Atletismo de São Vicente, o líder local da oposição concordou com as obras de requalificação em curso e com o seu andamento.

“Estão a ser criadas as condições para se ter competições internacionais, ter aqui a selecção nacional, uma aspiração de todos os sanvicentinos e as obras, em curso, dão essa garantia”, clarificou Alcides Graça, para quem, no entanto, está-se a “perder a oportunidade” de introduzir nestas obras a pista de atletismo, o que é “muito grave para São Vicente e para os atletas”.

Lembrou, a propósito, que todos os anos os atletas de São Vicente sofrem “profundas humilhações” quando vão disputar o campeonato nacional de atletismo, quer no Sal, quer em Santiago, e que se deve corrigir “essa deficiência”.

Até porque, completou Graça, dos contactos disse ter recolhido a informação segundo a qual “existem condições técnicas” para se ter em São Vicente uma pista de atletismo com oito faixas, “superior às condições da pista do Sal, por exemplo, que tem cinco faixas”.

“Também ficamos a saber que já existe orçamento para essas obras, à volta de 35 mil contos, e que havendo decisão do município de São Vicente ou do próprio Governo teremos a pista em São Vicente”, lançou, porque a empresa que está a executar a empreitada de requalificação do Estádio Adérito Sena, continuou, informou que é possível introduzir essa pista com “grande ganho” para o estádio.

“Estou a pensar num financiamento da câmara, do Governo, ou dos dois conjuntamente, até porque, durante a campanha eleitoral, fizeram essa promessa e sempre disseram que juntos eram mais fortes para ajudar São Vicente”, lançou.

“Não faz sentido ter um campo de nível internacional com asfalto à sua volta e isto até pode ser uma vergonha para São Vicente, para Cabo Verde”, denunciou Graça, pelo que “não se pode perder esta oportunidade, São Vicente merece, nós exigimos, as condições estão criadas e devemos avançar imediatamente com a construção dessa pista aqui em São Vicente”, concluiu.

Ainda referente a infra-estruturas desportivas em construção em São Vicente, Alcides Graça deplorou o facto de a ilha continuar à espera, “há mais de 15 anos”, do “prometido” polivalente coberto da Zona Norte, e que “não vai ser neste mandato autárquico” que a ilha terá o referido polivalente.

A empreitada de requalificação do Estádio Adérito Sena é uma obra que resulta de uma parceria Federação Cabo-verdiana de Futebol (FCF)/FIFA/Governo de Cabo Verde/Câmara Municipal de São Vicente e deverá ficar concluída em Novembro do corrente ano.

O montante da obra, que vai dotar o estádio para uma capacidade de oito mil lugares, quatro balneários, iluminação e um conjunto de melhoramentos na estrutura interna, ascende aos 94 milhões de escudo, financiados pela FCF/FIFA em 60 por cento (%), Governo (25%) e Câmara Municipal de São Vicente (15%).

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.