Num jogo muito bem disputado, as duas equipas alternaram-se no comando do marcador mas no final do tempo regulamentar o placard mostrava um empate a três golos, resultado que se manteve inalterado após o prolongamento e o vencedor teve de ser encontrado nos penalties.

O Eito Futsal falhou a conversão de uma grande penalidade contra o pleno do Sinagoga que, com 3-2 no desempate, levantou o troféu pela quarta vez consecutiva nas seis edições da competição.

O Sinagoga tomou conta da Copa Futsal a partir da terceira edição, depois de as equipas de Ladeira e de Mão-para-trás terem ganhado a primeira e a segunda edições, respectivamente.

Djone, jogador do Sinagoga, foi o porta-voz da equipa no momento da vitória e confessou não ter palavras para descrever a satisfação da conquista do troféu pela quarta vez consecutiva, mas reconheceu que “foi um bom jogo, contra uma grande equipa”.

Por parte do Eito Futsal, o capitão da equipa, Robinho, era a viva imagem da desolação mas agiu com “fair-play” dando os parabéns à equipa vencedora tendo em conta que “foi um bom jogo” e confessou que gostaria de ter ganho o troféu mas, “já que não foi possível, os parabéns aos vencedores”.

A organização do evento considerou ter um balanço muito positivo e, pela voz de Eliseu Fortes, considerou que se tivessem dois troféus as duas equipas teriam merecido cada uma o seu troféu, tendo em conta que houve “um digno vencido e um digno vencedor”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.