De acordo com o COC, o plano abrange o período de quatro anos, de 2016 a 2020, contou com a colaboração de todas as federações desportivas do país, criadas até 2016, Comissões do COC e Direcção-Geral dos Desportos, tendo como gestor de criação, o ex-secretário executivo desta organização desportiva, Leonardo Cunha.

A presidente do COC, Filomena Fortes, numa declaração conjunta com o gestor desportivo Leonardo Cunha, disse ter recebido a notícia “com satisfação em o COC como estudo de caso no livro de gestão avançada do COI e que seja como um exemplo para outros comités olímpicos na área do planeamento estratégico”.

“O plano estratégico foi elaborado por uma comissão de contribuição estratégica formada pelos associados do COC e pelos seus órgãos sociais, por isso estão todos de parabéns”, realçaram os dirigentes desportivos.

Esta é a segunda vez que Cabo Verde é indicado como estudo de caso para os Comités Olímpicos do mundo, já em 2017 havia tido o projeto VerdeOlympics como pré-estudo de caso, na área da preservação ambiental através do desporto, referenciado como um dos pilares do movimento Olímpico.

SR/CP

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.