Na sua reacção a esta perda, o presidente da FCK, João Carvalho, considerou que a federação que dirige “está de luto” com a morte de José Luís Correia e que vai manter as portas fechadas até segunda-feira”, face a perda de “um grande amigo, de toda hora e de momentos mais sensíveis da vida” do karaté cabo-verdiano.

“Ficamos mais pobres, sim. Perdemos um membro da nossa família, mas saberemos manter firme aquilo que sempre defendeu. Homem convicto nas suas palavras e firme no seu pensamento para elevar o karaté ao rumo certo. Lembro como hoje a correria para a criação desta nossa Federação… Pessoa incansável e disponível em todos os momentos.”, lê-se nesta nota de pesar.

Sensei, graduado com 4º dan pela Federação Internacional de Karaté e União da Federação Africanas de karaté (WKF/UFAK), José Luís Correia foi um dos primeiros árbitros internacional de karaté, presidente do Conselho Técnico da Federação.

Mentor do “Centro Pedagógico de Karate-DO”, na região desportiva de Santiago Norte, na cidade de Assomada, teve um papel fundamental na criação da Associação Santiago Norte de karaté, de que foi o primeiro presidente.

“Não digo nada para glorificar um homem que teve sempre o seu brilho. Simplesmente lembro sensei José Luís como uma figura a não se esquecer no mundo do desporto nacional e do karaté em particular”, escreve o dirigente da modalidade que aconselha a “todos os sênseis, escolas filiadas nas associações de karaté a simbolizarem o luto nacional”.

A FCK endereça as sentidas condolências à família enlutada e sugere a paralisação de aulas até a realização das exéquias fúnebres do malogrado.

O corpo de José Luís Correia foi transladado esta quarta-feira da cidade de Assomada para a Cidade da Praia, devendo esta quinta-feira ser autopsiado no Hospital Agostinho Neto, para se apurar a verdadeira razão da morte do agente policial.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.