O presidente da IDJ, Frederic Mbassa deu estas garantia esta manhã durante a cerimónia de assinatura de um protocolo de reforço de cooperação institucional com a Federação Cabo-verdiana de Andebol, para a materialização da preparação e participação da selecção nacional de andebol sénior masculina, no Mundial, Egipto’ 2021 que se realiza de 13 a 31 de Janeiro.

Aproveitou a ocasião para parabenizar a selecção de Cabo Verde da modalidade pelo “feito excepcional, por ser a primeira vez que uma modalidade do desporto colectivo atinge o maior palco desportivo mundial da sua modalidade”.

“Nós estamos orgulhosos dos nossos heróis. Eles fizeram um trabalho muito bom, digamos que não começou em 2020, mas há uns anos atrás, com resultados nas camadas mais jovens que veio culminar agora com a qualificação desta nossa selecção para o Mundial de andebol”, reforçou Frederic Mbassa que enalteceu “o trabalho feito pelos atletas, equipa técnica e dirigentes federativos”.

O protocolo, avançou, insere também um desafio, já que vai dotar a selecção das melhores condições para o grande palco, consciente de que para se ter resultados “muito bons, de acordo com o talento dos cabo-verdiano”, torna-se fundamental uma boa preparação.

Neste caso, explicitou que condições estão a ser criadas para uma preparação atempadamente, visando garantir todos os requisitos relacionados com a logística, o visto, de modo que os atletas e a equipa técnica se “foquem principalmente em jogar e levar bem alto a bandeira, o nome de Cabo Verde e da Nação neste palco mundial.

“É uma oportunidade de ouro para expor todo o trabalho que a federação e as instituições têm feito, instituições públicas e privadas e todos juntos conseguirmos que a nossa selecção tenha bons resultados”, realçou Mbassa, para quem o IDJ vai unir todos os esforços para garantir uma participação de qualidade.

Sem avançar o montante a ser destinado com toda a participação da selecção de andebol no Mundial do Egipto’2021, Frederic Mbassa assegurou que todo o desafio logístico e financeiro está sendo preparado para garantir todas as condições a quem pratica as modalidades em nome do país.

Adiantou, por outro lado, que o IDJ tem em andamento um trabalho a nível de comunicação e logística para o estágio da selecção e da procura de qualificações para ajudar a selecção em Portugal e no Egipto, ciente de que o trabalho é “grande”, mas “motivador” e que enche de orgulho a todos.

A selecção de Cabo Verde de andebol masculina vai estrear-se em Janeiro no Mundial de 2021 no Grupo A, constituído ainda pela Alemanha, Hungria e Uruguai.

O combinado crioulo afigura-se uma das 32 selecções apuradas para o maior evento do andebol do mundo e é uma das sete selecções que representa o continente africano.

SR/ZS

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.