Em conversa com a Inforpress, um dos promotores desta iniciativa Helder Pinheiro, que reside na Holanda e que se encontra de férias na sua terra natal, assegurou que, ao longo dos anos, tem deparado com a questão da falta de cumprimento da disciplina táctica por parte das equipas maienses, visto que os atletas começam “um pouco” tarde a jogar o futebol orientado por um treinador.

“Há cerca de dois anos contactei com Dany, responsável da Escola Vitória, colocando a minha preocupação de que na ilha existe pouca cultura táctica e uma das formas de colmatar isso seria começar a criar competições com crianças desde cedo e para iniciar seria bom começarmos com sub -12, em que as crianças vão começar a lidar com as questões tácticas”, contou.

Neste sentido, garantiu que, em concertação com Dany, manifestaram esse interesse a todos os dirigentes e, no passado fim-de-semana, realizaram o primeiro encontro com os dirigentes das escolas de iniciação ao futebol, para debaterem algumas questões e delinearem os objectivos. Prevê ainda um encontro com o vereador da Câmara Municipal do Maio para concertarem alguns detalhes.

Conforme Helder Pinheiro, esta prova vai servir de experiência e, caso corra da forma prevista, vão tentar incrementar mais escalões, nos próximos anos, visto que na ilha ainda se realiza o campeonato a partir dos sub-17, o que na sua opinião tem deixado muitas crianças que frequentam as escolas de iniciação ao futebol “insatisfeitas”, porque treinam todas as semanas e não competem com os seus colegas.

“Pretendemos que este campeonato seja jogado nos campos de todas as equipas que participarem nesta prova, por forma a desconcentrarmos o futebol e não deixar que tudo se resuma à cidade do Porto Inglês”, adiantou.

A mesma fonte considera “grave” o facto de nenhum dos 12 clubes federados na ilha do Maio possuírem uma escola de futebol, para preparar as suas crianças para serem futuros jogadores e, ao mesmo tempo, também para serem bons cidadãos, em vez disso, sublinhou, “preocupam-se somente com a equipa sénior e quase todos resumem o desporto ao futebol”.

“O nosso desejo é que as escolas venham a formar grandes jogadores para representarem as suas equipas tanto dentro como fora da ilha e quiçá no estrangeiro, porque, como sabemos, aqui existe potencial o que falta é trabalho”, afiançou.

Para levar avante esta iniciativa, Helder Pinheiro disse que estão a contar com a colaboração da câmara municipal e pretendem que outras instituições também venham apoiar a realização desta prova, acima de tudo que os pais abracem esta iniciativa acompanhando os filhos aos jogos.

Aquele promotor avançou ainda que pretendem iniciar com oito escolas de iniciação ao futebol, mas não precisou uma data, no entanto garantiu que vai ser para “breve”.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.