Sança, cabo-verdiano com residência nos Estados Unidos da América, vai ser o último dos 37 integrantes da delegação crioula a entrar em cena, em luta por um lugar no pódio, pelo que se espera uma competição renhida com outros 23 concorrentes.

Nesta prova, aprazada para às  07:10 locais (05:10 em Cabo Verde), estarão a competir, segundo a apurou a Inforpress, meia-maratonistas em representação de Cabo Verde, Angola, Chade, Costa de Marfim, RD Congo, Djibuti, Egipto (2), Eritreia (02), Etiópia (3), Quénia (03), Lesoto, Marrocos (2), Namíbia, Sudão do Sul, Uganda (2) e Zimbabué.

De entre os adversários na luta pelo pódio, Ruben Sança vai ter pela frente a concorrência do ugandês Robert Chemonges, medalha de ouro nos I Jogos Africanos de Praia, realizados em Junho último na ilha do Sal, com o tempo de 01:04:48 hora, para além da legião dos etíopes e quenianos, considerados potenciais candidatos ao título.

Nessa prova do Sal, o atleta crioulo quedou-se para a quinta posição.

O seleccionador nacional de atletismo, Júlio Nagana, havia considerado à partida para Marrocos que Cabo Verde apostara na elite da actualidade do atletismo cabo-verdiano, mas dos quatro concorrentes que já competiram em seis provas nenhum conseguiu passar a segunda fase.

Ruben Sança procura nestes Jogos Africanos não só “atacar” o pódio, como melhor a sua marca, para ter os mínimos para os Jogos Olímpicos Tókio’2020.

Ao todo, Cabo Verde compete neste Jogos Africanos que decorrem de 19 a 31 deste mês, nas modalidades de atletismo, taekwondo, voleibol indoor masculino, karaté, boxe e xadrez.

O arquipélago conta, até a presente data, com uma medalha de bronze conquistada no boxe, categoria -69 quilogramas, pela atleta Yvanusa “Nanci” Moreira.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.