Para isso, avançou Gunga Fonseca, a sua equipa preparou o jogo desta última jornada, no Porto Novo, frente à Académica do Fogo, “a pensar na vitória” e espera que “as pessoas que dirigem o futebol nacional” reconsiderem a sua decisão, por considerar que a sua equipa agiu dentro da legalidade.

O Conselho da Justiça da Federarão Cabo Vendeana de Futebol (FCF) puniu a Académica do Porto Novo com derrota no jogo da primeira jornada com o Mindelense, cujo resultado foi de um empate sem golos (0-0), por alegada utilização irregular de dois jogadores.

Gunga Fonseca disse que a Académica teve “consciência” daquilo que fez, ao fazer alinhar os dois jogadores em causa, e acredita na “serenidade” dos órgãos competentes da FCF que, conforme deu a entender, devem reconsiderar a sua decisão.

Por isso, disse que os representantes de Santo Antão – Sul esperam qualificar-se para a próxima fase da prova, contando com o ponto conquistado na jornada inaugural do campeonato, frente ao Mindelense.

Para isso, segundo Gunga Fonseca, a sua formação tem de, primeiramente, resolver o jogo com a Académica do Fogo “com uma vitória”, desafio que antevê “difícil”, já que a equipa foguense, mesmo já sem possibilidades de qualificação, vai querer “defender o seu orgulho”.

Com a decisão da Conselho da Justiça da FCF, o Mindelense, que joga, na Cidade da Praia, frente à Académica local, está já qualificado, com 12 pontos, enquanto a Académica do Porto Novo, o segundo do grupo, está em segunda posição, agora com seis pontos.

As académicas da Praia e do Fogo estão na terceira e quarta posições, com cinco e três pontos, respectivamente.

Inforpress/Fim

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.