Trata-se de mais uma ofensiva da direcção desta jovem agremiação que se mostra empenhada em trabalhos de acção social junto das famílias mais carenciadas em tempo de confinamento face à prevenção e combate ao novo coronavírus, causadora da covid-19.

A presidente do “Relâmpago”, Sabina Fortes, disse à Inforpress que a sua direcção esteve no terreno a fazer um trabalho de levantamento, devidamente protegida, para constatar as dificuldades por que passam os moradores da localidade e que o colectivo ficou sensibilizado pela forma como esta população, constituída por famílias numerosas, carece de cuidados especiais.

Revelou que as cestas básicas distribuídas pela autarquia foram insuficientes e que não chegou ao grosso dos moradores, razão pela qual entendeu a sua direcção providenciar esforços para tentar minimizar as necessidades desta população.

A Associação Desportiva Relâmpago iniciou esta acção em Abril último ao beneficiar as localidades de Tira Chapéu, Ponta d’Água, Simão Ribeiro e Safende  com cestas básicas angariadas na campanha “1 Kg de Alimento”, lançada no início desse mês para cobrir as carências alimentares dos que mais precisam neste período da pandemia de covid-19.

Nessa altura com as cestas básicas, avaliadas em 3.500 escudos cada, beneficiaram igualmente 10 atletas do clube com o fito de suprir as necessidades alimentares em tempo de confinamento face à pandemia do novo coronavírus.

Fundada há três anos pela sua presidente, Sabina Fortes, a Associação Relâmpago aposta forte em trabalhos de solidariedade para além de contar com a sua equipa na primeira divisão do Regional de Futebol de Santiago Sul depois de, há duas temporadas, ter conquistado o título de campeão do segundo escalão.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.