A luta para o título, cujos vencedores (masculinos e femininos) serão premiados com verba monetária no valor de 150.000 escudos cada, vai levar as ruas da Cidade da Praia atletas de eleição de diversos pontos do país.

Grandes nomes do atletismo cabo-verdiano residente já manifestaram interesse na maratona internacional, como Wilson Cabral e Edena Lima (vencedores de São Silvestre da Praia’2018) de entre um número considerado de atletas da “Emicela Team Cabo Verde”, assim como Ilídio Freire, Bernandette Nunes, Zélia Rodrigues (todos residentes em Santiago) e Euclides Varela, este proveniente da França.

De São Vicente já é dada como certa a participação de figuras como Artur Fortes e Aleida Santos (vencedores da Corrida de São Silvestre 2018 em Mindelo), a veterana internacional cabo-verdiana Crisolita Rodrigues e Paulo Cardoso, com o suporte da autarquia mindelense.

Da ilha do Sal espera-se a participação de atletas referenciados como Cândido Costa, Américo Monteiro, enquanto da Ilha do Fogo Kueny Miranda, vice-campeão de São Silvestre da Praia’2018, já tem presença assegurada.

De acordo com a Câmara Municipal da Praia, organizadora do evento, os segundos classificados, masculinos e femininos, serão agraciados com 100 mil escudos e os terceiros com 50 mil. Do quarto ao 12º classificados serão recompensados com valores na ordem dos 30, 20, 15, 10, 07, 06, 05, 04 e 03 mil escudos, respectivamente.

Para além da “Meia Maratona Internacional Cidade da Praia”, virada exclusivamente para atletas federados, realiza-se, simultaneamente, as provas de fundo (10 quilómetros), corrida de jovens dedicada a alunos do ensino secundário, e a Marcha Massiva, de aproximadamente quatro quilómetros, na qual se espera também a participação infantis e idosos.

Os campeões das provas dos 10 quilómetros serão premiados com 20.000 escudos cada (masculinos, femininos e paralímpicos), cabendo aos segundos classificados, 15.000 e os terceiros 10.000 escudos. A estes valores são acrescentados 5.000 escudos e 3.000 escudos para os quartos e quintos classificados para atletas não paralímpicos.

A prova de cadeirantes reserva 10.000 escudos para os vencedores dos 100 metros, 7.000 e 5.000 escudos para os restantes atletas do pódio, sendo que os atletas da Corrida Escolar serão contemplados com “kit materiais desportivos” para escolas e individualmente, a cada um dos jovens participantes.

A organização garante ter a logística montada para 5000 participantes, dos quais cerca de 450 atletas. Apesar da vinda de uma empresa estrangeira para a cronometragem electrónica da prova, a Federação Cabo-verdiana de Atletismo assegurará a responsabilidade técnica do evento.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.