"Cumprindo as normas de aviação internacional, a Cabo Verde Airlines renovou a certificação de Auditoria de Segurança Operacional (IOSA) da Associação Internacional de Transportes Aéreos (IATA) para o ano 2019", adianta a TACV, em nota à comunicação social.

O IOSA é um certificado internacional que avalia a gestão operacional e controlo de uma companhia aérea.

"Este certificado IOSA é mais um marco para a companhia aérea que continua a manter os padrões internacionais de aviação", considerou Mário Chaves, diretor executivo da Cabo Verde Airlines, citado na mesma nota.

A TACV que acumula mais de 100 milhões de euros de passivo e deixou de fazer voos domésticos em agosto de 2017, mantendo apenas a operação internacional.

A companhia está a ser gerida pelo grupo islandês Icelandair, mediante um contrato assinado com o Governo para a reestruturação da empresa com vista à sua privatização, num processo que deve implicar a saída da empresa de mais de 200 trabalhadores.

A companhia iniciou em fevereiro as suas atividades operacionais a partir da ilha do Sal e voa atualmente para sete destinos, nomeadamente, Brasil (Recife e Fortaleza), Estados Unidos da América (Boston), Portugal (Lisboa), França (Paris) e Itália (Milão).

A companhia anunciou, entretanto, para 18 de junho, a abertura de uma nova rota de Lisboa para Salvador, com conexão à ilha do Sal.

A ligação realiza-se às segundas, quartas e sextas-feiras, com possibilidade de os passageiros poderem fazer um "stopover" de sete dias em Cabo Verde sem custos adicionais no bilhete.

Os voos serão operados com aviões Boeing B757 de 182 lugares.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.