Siza Vieira fez esta observação em declarações à imprensa, minutos  antes de proferir uma palestra sobre o sistema de construção em betão branco, no âmbito da visita às obras da nova sede do Banco de Cabo Verde (BCV), de que é o autor do projecto arquitectónico.

“O clima desses países é muito mais quente no verão e já fizeram experiências no Brasil para ajustar as condições climáticas à boa composição do cimento branco”, explicou o arquitecto.

Em relação às obras da nova sede do BCV, disse que estão a correr “muito bem” e mostrou-se “muito satisfeito” uma vez que, admitiu, o trabalho com betão branco é “muito difícil”.

“Está muitíssimo bem e há sobretudo muito bom ambiente na obra entre todos os intervenientes”, notou Siza Vieira, revelando-se “muito satisfeito” porque estava convencido de que não se construiria esta obra.

“A maqueta que se fez na altura mandei-a para o Canadá onde estão os arquivos dos meus projectos porque pensei que não era preciso para nada”, revelou o conceituado arquitecto português.

No entanto, adiantou que o projecto é “exactamente o mesmo” que elaborou há 20 anos, salvaguardas algumas alterações nas infra-estruturas, devido às outras exigências relacionadas com a segurança, controlo e informática.

“O projecto é rigorosamente o mesmo, creio que aguentou bem essas modificações” regozijou-se Siza Vieira.

A palestra, de acordo com a nota de imprensa do BCV, vai contra com a participação de arquitectos, engenheiros, ordens profissionais do ramo da arquitectura e engenharia, professores universitários, o Laboratório de Engenheira Civil, o Programa de Reabilitação, Requalificação e Acessibilidades (PRRA) do Ministério das Infra-estruturas e o Pelouro de Urbanismo da Câmara Municipal da Praia, entre outros interessados.

As obras da sede do BCV, localizadas em Achada de Santo António, ao lado da Assembleia Nacional, iniciadas em Agosto de 2017, após a autorização governamental de 22 de Outubro de 2016, encontram-se já “em fase avançada” de construção.

A nova sede representa “um marco inegável e decisivo” para o reforço institucional do BCV, “sendo imprescindível” na óptica do desenvolvimento de um sistema financeiro moderno e de um papel “cada vez mais exigente” para o Banco Central, lê-se na nota de imprensa.

A empreitada de construção está consignada ao Agrupamento Complementar de Empresas, vencedor do concurso público internacional, formado pela empresa espanhola Construtora San José, S.A. e pela empresa cabo-verdiana Sociedade de Construções, S.A (SGL).

A construção da nova sede do BCV projectada por Siza Vieira, conhecido pelas suas obras em betão branco, material introduzido agora em Cabo Verde, está orçamentada em mil e oitocentos milhões de escudos.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.