Sissoko Embaló, que se mostra confiante na vitoria numa segunda volta, negou que a sua estada na capital cabo-verdiana tenha sido aproveitada para tratar com autoridades do país um eventual asilo do Presidente guineense José Mário Vaz, caso não renove o seu mandato.

Esta informação está num post a circular no Facebook.

Depois do encontro com o Presidente Jorge Carlos Fonseca, que não falou à imprensa, Sissoco Embaló disse estranhar o post e afirmou que “não faz nenhum sentido José Mário Vaz abandonar a Guine Bissau” após as eleições”.

O candidato apoiado pelo MADEM-G15, o segundo partido mais votado nas eleições de Março, mostra-se confiante na passagem à segunda volta e reiterou a sua proposta de “um pacto entre os demais candidatos para fazer frente e derrotar o candidato apoiado pelo PAIGC”, Domingos Simões Pereira.

Umaro Sissoco Embaló também garantiu que, se for eleito Presidente da República, a primeira medida a tomar será a saída da Guiné-Bissau de todas as forças estrangeiras.

A Guiné-Bissau escolhe entre 12 candidatos o seu próximo Presidente no domingo, 24.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.