Esta é a ideia que o secretário de Estado Adjunto do ministro de Estado, Carlos Monteiro, passou ao encerrar, ao início da noite de hoje, no Parque do Lazareto, a conversa aberta sobre o tema “Ser êk te fazê ter” (ser é que faz o ter, em português), no âmbito da celebração do Dia Internacional da Juventude, que se celebra hoje.

A proposta era passar experiências e vivências aos jovens, através de uma empreendedora (Rosalina Lima), um basquetebolista (Ivan Almeida) e dois representantes de associações juvenis das confissões religiosas Nazarena (Bequer Almada) e Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias (César Fortes).

Ivan Almeida, por exemplo, falou do seu percurso, o de um jovem que tratou de se capacitar, com uma licenciatura, antes de enveredar por uma carreira desportiva internacional, aos 22 anos, porque deu sempre prioridade à educação.

Por isso, aos mais novos que desejam seguir uma carreira ao alto nível no desporto deixou o conselho de que ninguém consegue o sucesso sem disciplina, treino e foco num objectivo, num processo, continuou, que deve ser feito por etapas.

“Depois há que ter referências e tentar melhorar sempre, mas com objectivo bem definido”, precisou.

A empreendedora Rosalina Lima, por seu lado, colocou o foco no saber ser para cada um traçar o seu percurso, tendo sempre o auto-conhecimento como “factor de mudança”.

“Devemos procurar a melhor versão de nós mesmos, rodear-nos de pessoas positivas”, concretizou a jovem, pois, prosseguiu, a atitude empreendedora não é só negócio, é um “estado de espírito”, ou seja, simplificou, “fazer as coisas acontecer”.

Nas duas comunicações dos oradores que se assumiram como religiosos, o nazareno Bequer Almada foi à bíblia retirar a história do Rei Salomão para dizer aos jovens que mais do que riquezas e vaidade, o objectivo de cada um deve passar pela sabedoria e pelo conhecimento, ao passo que César Fortes, da Igreja de Jesus Cristo dos Santos dos Últimos Dias, centrou na temática do conflito geracional para dizer aos jovens que este conflito não deve existir e que as gerações devem caminhar juntos e de “mãos dadas e sem medo” , já que o que capacita é a educação, que “abre todas as portas”.

O secretário de Estado Adjunto do ministro de Estado, Carlos Monteiro, foi um ouvinte atento e, no fim, disse que apreciou a conversa, uma prova, ajuntou, de que “vale a pena” esse tipo de actividades , por se tratar de histórias, vivências e experiências que se deseja sejam transmitidas aos jovens de hoje.

Daí o desafio que lançou à comissão organizadora da iniciativa “Mindelo Capital da Juventude 2019”, no sentido de concretizar mais iniciativas do género, “levá-las a outros locais da ilha e a vizinha Santo Antão” e envolver “cada vez mais jovens”.

São encontros, prosseguiu, que mostram que os jovens estão a crescer com responsabilidade, sabendo qual o seu papel na construção de um Cabo Verde melhor para todos, pelo que, sintetizou, da parte do Governo cabe criar políticas e as condições para que cada jovem, no caminho que escolheu para percorrer, tenha as ferramentas necessárias para realizar os seus sonhos.

“Falar com a juventude e abordar questões da juventude não está apenas em como conseguir um emprego ou em questões negativas a ela ligadas, é falar também da atitude de cada um”, observou Carlos Monteiro, para quem “a atitude perante a vida faz a diferença e permite aproveitar as oportunidades”.

A cidade do Mindelo é a primeira do país a receber a iniciativa governamental “Cidade Capital da Juventude”, criada em 2019, que visa promover a cooperação juvenil, integrada nas comemorações do Dia Internacional da Juventude.

A implementação da “Cidade Capital da Juventude”, em Cabo Verde, tem como objectivo, de acordo com os promotores, “projectar a nível nacional e internacional” cidades que se distingam pela apresentação de projectos direccionados para a juventude.

Pretende, por um lado, beneficiar as cidades que participam, ao promover uma participação mais activa dos jovens na sociedade, aumentar o reconhecimento e reputação das cidades nomeadas, e, por outro, a sua promoção, principalmente ao nível do turismo.

O Dia Internacional da Juventude foi proclamado por resolução da Assembleia Geral da ONU, em 1999, em resposta à recomendação da Conferência Mundial de Ministros Responsáveis pela Juventude, reunida em Lisboa (Portugal), de 08 a 12 de Agosto de 1998.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.