Face à crise provocada pelo coronavírus, alguns produtos começaram a escassear no mercado.

Com as ilhas a ficarem isoladas, a população abastece as suas casas com produtos de primeira necessidade, deixando o mercado com prateleiras vazias.

O secretário de Estado do Comércio, Eugénio da Graça, pede calma à população, porque “não há motivos para o açambarcamento de produtos alimentares”.

As autoridades prometem medidas duras nos casos de açambarcamento para a especulação de preços.

Também os proprietários de lojas e supermercados tranquilizam a população.

“A maior preocupação é com os fornecedores no estrangeiro, que a qualquer momento podem encerrar as portas”, disse um comerciante.

As agências de transporte marítimo dizem que há alimentos a caminho de São Tomé.

Tal garantia é feita numa altura em que a companhia aérea portuguesa, TAP, anunciou a suspensão, até 28 de Abril, de voos para São Tomé e Príncipe devido ao coronavírus.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.