“Depois falaremos sobre isso, nas eleições. Neste momento não é o assunto mais importante para a Câmara Municipal do Sal. Estamos focados no combate contra o novo coronavírus, na preparação da ilha para abertura ao turismo”, justificou, quando questionado sobre o assunto.

Todavia, na contagem decrescente para o término do mandato, Júlio Lopes, que está à frente da Câmara Municipal do Sal há sensivelmente quatro anos, avança com inaugurações e arranque de obras de requalificação urbana nas diferentes localidades da ilha.

Com vários projectos em curso, o autarca destaca o arranque da ligação de água Fonte Riba/Palmeira Norte/Praia de Net, requalificação da Rua Amílcar Cabral, em Santa Maria, além da Pedonal, Pontão e Calçadão, obras na Rua Norte de Santa Maria, em Pedra de Lume e em “todos os bairros dos Espargos”.

E esta quarta-feira vai testemunhar a inauguração da segunda fase de requalificação dos arruamentos da localidade de Hortelã de Cima, enquadrado nas celebrações do 45º aniversário da Independência Nacional.

Além desta inauguração, a autarquia tem igualmente em curso um programa de lançamento de primeiras pedras que simbolizam o arranque das obras do projecto de requalificação de pequenas ruas, em Hortelã de Cima, e de requalificação do Alto de São Nicolau, em Ribeira Funda (Sopé da Rotcha), também enquadrado nas celebrações do 5 de Julho.

“Vamos continuar as nossas obras que estiveram paradas por causa do estado de emergência”, disse, reiterando que as obras de requalificação são uma “grande prioridade” da câmara, já que um “elemento importante” da plataforma eleitoral.

“E a prática nos diz que demos um grande passo nessa matéria. Disponibilizamos poderio superfície, atribuímos mais de mil lotes a jovens do Sal, demos projecto tipo e assistência técnica gratuito (…), ou seja, se viermos quantificar demos a cada jovem 550 contos, entre lotes e projecto”, justificou.

Nesta ordem e referindo-se ao programa de reabilitação de casas no âmbito do programa “Viver com dignidade”, Júlio Lopes assegurou que já foram reabilitadas “centenas e centenas de moradias”, além de ter dado também apoio a pessoas que querem reabilitar e construir as suas habitações.

“Já apoiamos mais de 1.200 pessoas, tendo ainda outras 600 para auxiliar. E, nos próximos meses, vamos intensificar esse apoio para que o nosso povo possa viver melhor”, manifestou o autarca, realçando o andamento das obras de requalificação de Alto São João e Alto de Santa Cruz, cuja parte de infra-estruturação, conforme afiançou, “já está pronta”.

“Um grande projecto do Governo, e agora está-se na fase de construção de casas. Por conseguinte, qualquer mensagem que se quer passar, dizendo que no Sal não se está a dar importância à habitação social (…) é completamente falsa. Os dados, a realidade, são claras e inequívocas, falam por si”, enfatizou.

Na sua rede favorita

Siga-nos na sua rede favorita.